fbpx
+1 (323) 282-7770 frontdesk@gondim-law.com

QUER TRABALHAR NOS EUA EM 2024? CONHEÇA AS 10 MELHORES PROFISSÕES

Especialista indica áreas com mais chances para quem pensa em morar na América

2024 pode ser mais um ano decisivo para quem profissionais e empresários de outros países que sonham em se mudar de forma legal para os EUA, com previsão de recordes de empregos prestes a serem batidos.

Todos os meses o DLS (Department of Labor and Statistics) aponto uma média de 11 milhões de novas oportunidades de emprego. Entretanto, mesmo diante deste cenário, o país não consegue encontrar profissionais em quantidade e qualidade suficiente.

O déficit de profissionais em diversas áreas fundamentais já sendo um problema para os EUA desse o começo deste século, mais intensificou-se nos últimos 3 anos, período em o país recuperou-se prontamente dos prejuízos causados pela pandemia. A demanda reprimida em 2020-2021 (auge da covid-19) resultou em uma “explosão” de novas empresas, startups e na chegada de milhares de empreendedores e investidores estrangeiros que decidiram levar seus negócios para a América.

Mas além da economia, outros fatores explicam a carência de mão-de-obra nos EUA, incluindo o desinteresse entre os jovens em estudar e trabalhar em algumas profissões que antes eram muito procuradas, como pilotos, profissionais de saúde, professores, etc. Ao mesmo tempo, muitos profissionais mais velhos se aposentaram (ou tiveram que se aposenta) durante a pandemia.

COMO TRABALHAR NOS ESTADOS UNIDOS?

Existem oportunidades sendo oferecidas em basicamente todos os segmentos nos EUA, e com excelentes salários. E muitas destas vagas de trabalho estão disponíveis para profissionais estrangeiros que possuam uma carreira de sucesso e, em muitos casos, formação superior.

Os vistos EB (Employment-Based) são voltados exatamente para este perfil de profissional, e podem ser concedidos com base em habilidades extraordinárias, vagas permanentes de emprego ou capacidade de investir no país. E os brasileiros estão entre os mais beneficiados com estes vistos, com aproximadamente 65 mil green cards emitidos para imigrantes originários do Brasil. Dos vistos EB, mais populares são o EB-2 NIW (profissionais com habilidades diferenciadas e carreiras de sucesso) e o EB-3 (imigração com oferta de trabalho).

QUAIS PROFISSÕES ESTÃO EM FALTA NOS ESTADOS UNIDOS?

As oportunidades são diversas, e para ajudar pessoas interessadas em saber mais sobre os vistos EB e sobre o mercado de trabalho americano, Marcelo Gondim selecionou 10 áreas profissionais com as melhores oportunidades para imigrantes em 2024. Confira:

Médicos: Aproximadamente 83 milhões de pessoas vivem em regiões onde não há médicos em quantidade suficiente para atender à população. A falta de médicos vai desde clínicos gerais até as mais variadas especialidades da profissão.

Devido a este déficit de profissionais, muitos médicos em atividade acabam precisando dobrar seus turnos, o que tem levado muitos à exaustão e pedidos de demissão. Além disso, a faixa etária predominante entre a classe médica que está no mercado de trabalho é de 50 a 55 anos, o que reflete a falta de interesse ou, em muitos casos, de capacidade financeira das gerações mais jovens para bancar os altos custos de uma formação em medicina.

Os estados americanos que mais precisam de médicos e que oferecem melhores remunerações salariais são: Flórida, Califórnia, Novo México, North Dakota, Arkansas, entre outros.

Enfermeiros: Estima-se que o déficit de enfermeiros atualmente nos EUA chegue a 1.1 milhão de profissionais. A necessidade por profissionais de enfermagem cresçe sobretudo em função do envelhecimento da sociedade americana. Califórnia, Texas, New York, Flórida e Pensilvânia são os estados americanos que mais precisam de enfermeiros. A Califórnia segue como a região que oferece melhores remunetaçõs para enfermeiros, podendo ultrapassar 100 mil dólares anuais.

Fisioterapeutas: Assim como outras áreas da saúde, existe pouco interesse entre os mais jovens em se formar e trabalhar como fisioterapeuta. O envelhecimento da população americana torna esta profissão ainda mais necessária, o que tem levado muitas clínicas e hospitais a contratar imigrantes que estejam qualificados e que possuam as licenças necessárias para exercer suas funções nos EUA. A média de fisioterapeutas empregados nas grandes regiões metropolitanas é  de 57 profissionais para cada 100 mil habitantes.

Fisioterapeutas bem qualificados podem obter em média remunerações anuais que ultrapassam 100 mil dólares, dependendo da região em que trabalharem, sendo Califórnia, Nevada, New Jersey, Alaska e Connecticut as localidades que oferecem os melhores salários

Dentistas Em média, existem somente 60 dentistas para cada 100 mil habitantes nos Estados Unidos. A falta de dentistas intensificou-se desde a última década, quando muitos profissionais de odontologia se aposentaram, e poucos novos dentistas se juntaram ao mercado de trabalho. O salário anual médio de um dentista é por volta de 158 a 208 mil dólares, o que faz desta profissão uma das mais bem remuneradas do país.

É importante observar que dentistas formados em outros países que desejam obter licença para exercer a profissão nos EUA ter em mente que a maioria dos estados americanos exige um diploma de um programa de educação odontológica credenciado pela American Dental Association Commission on Dental Accreditation (CODA). 

Engenheiros: Até o final de 2026, os EUA podem sofrer com um déficit de seis milhões de engenheiros Esta carência é explicada pelos altos custos para se formar na profissão. Uma faculdade de engenharia, pode custar de 30 a 80 mil dólares anualmente, dependendo da cidade em que a estiver estudando. Além disso, muitos engenheiros americanos se mudaram para o mundo árabe, em especial dos Emirados Árabes, Catar e Arábia Saudita, aonde recebem melhores salários e isenções fiscais.

Engenharia Civil, Automotiva, Elétrica, Eletrônica, Telecomunicações, Engenharia de Produção e, sobretudo, Engenharia de Óleo e Gás estão entre as áreas da engenharia com mais oportunidades nos EUA. Em regiões como o Texas, que abrigam as principais indústria petroquímicas do país, os salários anuais para engenheiros desta área variam de 90 mil a 190 mil dólares.

Pilotos: Aproximadamente 130 mil voos são cancelados nos Estados Unidos anualmente, resultado do déficit de pilotos. 735 mil pilotos estão em atividade, mas pelo menos mais 150 mil novos profissionais são necessários para que a viação americana não entre em colapso.

Pilotos bem qualificados podem receber remunerações anuais que vão de 99 mil dólares a 200 mil dólares. Nevada, Florida, Alaska, Montana, Virginia e Texas Sãos as regiões que mais precisam de profissionais de aviação.

Educadores: A cada dia está sendo mais difícil encontrar professores e educadores nos Estados Unidos. Entre os principais motivos estão: baixos salários, dificuldades de adaptação às novas tecnologias (ensino a distância e politização nas escolas e universidades. Washington, Arizona, Indiana, Califórnia e Nevada são os estados com maior déficit de educadores

Para educadores estrangeiros, as principais oportunidades estão nos campos de educação para crianças especiais e em cursos de idioma, com salários anuais que variam de 60 a 90 mil dólares, dependendo do Estado e da especialização do profissional.

TI: Califórnia, Texas e New York são os Estados com mais vagas de trabalhopara profissionais de TI nos Estados Unidos. Ainda assim, as grandes big techs não conseguem encontrar profissionais em quantidade e capacidade para atender a demanda do mercado de desenvolvimento de novas tecnologias. Departamento de Trabalho americano calcula que existem 1.5 milhão de vagas para profissionais de TI disponíveis até o final de 2023.

Dependendo do ramo de especialização do profissional de TI, os rendimentos anuais podem variar de 200 a 300 mil dólares por ano.

Logística: Seja na área portuária, aeroviária ou rodoviária, os EUA precisaram trabalhar de mais profissionais para manter o fluxo de bens e serviços de primeira necessidade circulando. Com o crescimento dos serviços de entrega de produtos e alimentos, além de aplicativos de transporte, criou-se também um déficit de profissionais de logística. Pessoas que trabalham nesta área são necessárias em todos os Estados americanos, com remunerações anuais que podem variar muito de acordo com o tipo de serviço prestado. Entre os profissionais de logística mais bem pagos estão motoristas de caminhões e Engenheiros de logística, com rendimentos que ultrapassam 100 mil por ano.

Empresários: A cada ano, mais empreendedores estrangeiros levem suas empresas para os Estados Unidos. No entanto, ainda há espaço e incentivo para a chegada de muitos empresários. As oportunidades estão em todos os Estados, e dependendo de onde a pessoa montar sua empresa ou comprar uma franquia, pode haver auxílio de agências não-governamentais e associações de comércio que estimulam novos negócios, concedendo empréstimos e fornecendo incentivo financeiro e parcerias diretas.

De acordo com dados da agência americana de incentivo a novos negócios (USAID), publicada em junho de 2022, mais de 1.400 companhias e startups foram fundados ou adquiridos por brasileiros desde 2016.

Somente na Flórida, foram registradas novas patentes para mais de 800 produtos e empresas brasileiras desde 2020. Academias de artes marciais, salões de beleza, bares especializados em culinária brasileira e comércio de roupas estão entre os empreendimentos mais frequentes e, quase sempre, mais rentáveis.

Sobre o especialista: Marcelo Gondim

Marcelo Gondim é advogado especializado em imigração nos Estados Unidos, com mais de 20 anos de experiência em processos de green card e vistos americanos. Ele é licenciado pelo Estado da Califórnia. Marcelo nasceu no Brasil, mas também possui cidadania americana. Ele é o fundador e principal advogado da Gondim Law Corp, escritórios de advocacia imigratória situado em Los Angeles.

PRÉ-AVALIAÇÃO GRATUITA PARA GREEN CARD OU VISTO

Preencha nosso formulário para receber uma pré-avaliação de suas possibilidades de Green Card, visto ou demais serviços e processos oferecidos pelos advogados de imigração licenciados da Gondim Law nos EUA

;